Myers, o “Tao”

03/02/2017 às 13h10

Myers, o “Tao”

Quando Tom Myers publica sua grande obra chamada “Trilhos Anatômicos”,  explode no ocidente uma verdadeira revolução no conceito de interação do corpo humano. Através de uma profunda análise dos sistemas fásciais, o autor americano apresenta o tecido conjuntivo como um conector importantíssimo dos movimentos por suas linhas elásticas, bem como, uma grande couraça de auto-regulação energo-fisiológica. Há cinco mil anos, textos Taoistas já apresentavam nosso sistema orgânico através de 12 meridianos e canais de completa interação e interdependência. Não por nada, Myers também registra 12 canais de comunicação pela rede fascial.

         Todo o ser pluricelular diverso, cujo máximo expoente é o homem, não é uma simples associação de células nomotípicas, e sim de células heterotípicas, adequadas a sua função específica que se compensam gerando uma organicidade. Esse é o verdadeiro conceito de Holístico! Albert Einstein provou que tempo e espaço são relativos, Max Plank com sua teoria quântica a inexorável relação do todo com as partes. Antigos monges tibetanos diziam que “ninguém é uma ilha”. Por que nós, agentes de saúde ignoramos todo este conhecimento?  Continuamos com os mesmos paradigmas e dogmas das instituições educacionais que simplesmente ignoram todo o conhecimento humano construído por outras culturas. Lembremos que até o Renascimento o ocidente viveu um período de trevas de mais de 1.500 anos, onde nada poderia ser questionado ou pesquisado. Mas outros povos (Chineses, Árabes, Indianos...) continuaram estudando e pesquisando!

         Mas o que isso tem a ver com movimento humano? Tudo! O salto profissional que muitos deram a partir de estudos heterodoxos foi gigantesco. Grandes atletas compreenderam muito bem estes novos (ou velhos) conceitos, Lebron James contratou uma terapeuta especialista em meditação, Michael Phelps e Kelly Slater se tratam apenas com médicos orientais, todo o corpo de fisioterapeutas da Seleção Alemã de Futebol é formada pelos conceitos Rolfistas. E nós Educadores Físicos continuamos com circuitos metabólicos? O movimento humano é uma representação dinâmica de toda uma complexidade interacional sistêmica. Será que não está na hora de irmos um pouco mais além?

         Neste contexto, a arrogância ocidental cartesiana tem seus dias contados e logo irá emergir um novo imperativo de saúde e movimento. Portanto, Myers é o “tão”!

 

Daniel Sartori - Sartori Funcional

 

 

Comente